segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Tem algo errado comigo se começo a preferir o trabalho a relacionamentos?

Depende... Algumas profissões exigem tanta paciência e dedicação que tiram o espaço para outros amores na vida de uma pessoa. Veja o caso do jornalista, por exemplo. Um bom jornalista vive atrás da tal verdade, tentando sempre ouvir todos os lados ao mesmo tempo que, no fundo, deseja apenas é dar logo o furo, matar a pauta e ir falar de amor no buteco mais próximo. Qual a diferença dessa rotina com a do parceiro que tenta entender o ponto de vista do outro numa DR* concordando no fim apenas para garantir a possível foda vindoura, seguida do merecido cigarrinho e a soneca de um guerreiro? O advogado é outro exemplo de profissão que substitui perfeitamente uma relação: o sujeito fode alguém todo dia, quando firma compromissos é pra subir na vida e quando acaba com um casamento ainda fatura uma graninha. O que pensar então do decorador que vive tentando colocar mais coisas num espaço já muito usado e qualquer canto que sobra ele joga logo uma trepadeira pra "valorizar" a vista? Repare bem se não é exatamente o que fazem todos os casais, verdadeiros arquitetos do amor, engenheiros da compreensão, advogados da beleza interior, quando tentam desesperadamente manter o conforto do 69, mesmo com aquela vista horrível, ou ainda quando estudam todas as vias de se mudar um caminho e desviar do fluxo pesado do companheiro chegando em casa muito depois das dez e de cabelo molhado, culpando a chuva que não caiu? Enfim, o que se deve ponderar perante tal questionamento é o quanto uma coisa realmente compensa [ou não] a outra. Em caso de empate, tenha como base o resultado final. Se seu emprego atual é numa casa de tolerância, por exemplo, você ainda está no lucro, considerando que já que você vai se fuder de qualquer jeito, que pelo menos fique cinquenta mangos no seu criado mudo ao fim de mais um dia.

* vulgo discussão de relação

6 comentários:

Barbara disse...

Eu nao tenho relacionamento e o meu trabalho ate que é uma casa de tolerancia.
Entao... tem algo errado comigo? rs

Anônimo disse...

O que vc tá precisando é dar uma trepadinha pra lembrar como é. Acho que vc esqueceu.

Leila DizNi disse...

postar como anônimo é coisa pros fracos...

dsc dsc dsc

Barbara disse...

anônimo pode ter razão, mas leila tem mais razão ainda!

Pablo Picasso disse...

Tudo bem, sou um fraco. Mas Leila tb não é Leila. Então taí meu pseudônimo. Qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência.

Leila DizNi disse...

Pablo Picasso, direto do além, se assumindo um FRACO você só encontra aqui, no meu, no seu, no nosso FAQ!