sábado, 27 de agosto de 2011

Do crime à prostituição através de um SWATCH


Faz três meses que um cerumano esqueceu o relógio na minha casa. Posso vendê-lo ou tenho q bancar a boa moça e convidá-lo para ir transar?

Dorinha Douradinha


Peraê, peralá, peraí, minha filha... Deixa eu entender uma coisa: como foi aí o pulo? De um relógio esquecido tu tá na dúvida se vira malaco do Carrefourto ou puta? Não compreendi.

Vamos do simples. Pro cara ter esquecido a jóia na tua casa, sinal q já esteve na alcova. De forma que concluímos: se já pisou no teu chão, já foi abatido. Caso contrário, tu já bancou a boa moça, ora porras! 

Agora vamos pro complicado: se o mano subiu pro teu APÊ e tu bancou a donzela, não espere q o relógio esquecido seja um recado do coração. Só chama lá o CRIOLO na mente pra nunca se esquecer q 'Não existe amor em SP' e não adianta fazer a cena da virgem se tudo o q os dois queriam era perder um cadinho de tempo mas sem fincar os ponteiros no compromisso.

Só não bote a culpa da tua vida desprovida de sexo sincero num pobre SWATCH. 

Ps.: se decidir vender a BAGAÇA do MANO, pega a grana e investe num bom sacolão: bastante cenoura e mandioca... mas das sem perna e sem braço... q estas não fogem nem esquecem bracelete pra trás, combinou?

2 comentários:

Pablo Picasso disse...

Não sabia que os russos eram tão conservadores.

Russa Malvada disse...

Depende da posição, Big Dick...