domingo, 15 de março de 2009

Ultimamente tenho sido atormentada por uma estranha vontade de copular na hora do almoço, mas onde trabalho não existem homens. Existe alguma solução para acabar com este desconforto?

Eu mereço! A gente promete respostas e as pessoas abusam nas perguntas.

Mas vamos. Não nego retornos do FAQ, assim como não nego fogo (à exceção dos dias em que estou com dor de cabeça, espinhela quebrada, dor de cotovelo ou má vontade mesmo). Vamos às satisfações à nossa querida F. R. S., que se identifica como uma senhorita belorizontina de 29 anos.

Primeiramente, devo alertá-la que se não há nenhum homem em teu serviço e mesmo assim tem tido desejos libidinosos à hora do almoço, pode ser que a senhorita estejas a desejar para a sobremesa daquela mesma fruta que és tu, para comê-la até o caroço (ou chupá-la, a depender da fruta e do gosto da freguesa). Dizem que em BH lesbianismo está na moda – não afirmo, pois fugi dessas paragens há algum tempo.

Mas pode ser que não seja isso. Talvez apenas falta de sexo (oposto ou não). E aí recomendo-lhe apenas auto-controle e distância de alimentos afrodisíacos. Para ajudá-la, fiz uma pequena busca no Google para montar uma listinha.

O oráculo recomendou: distância de substâncias euforizantes ou tranquilizantes (como guaraná, passiflora |seja lá o que isso for|, álcool, marijuana, cocaína |esqueceram de avisar ao Google que isso ainda é proibido|, perfumes e incensos). E cuidado com alimentos de origem animal ou vegetal que "lembram em seu formato a aparência da genitália externa humana". Não entendeu? Google exemplifica. Coisinhas como ostra, pepino, banana, rosa e o que mais sua imaginação for capaz de associar.

FAQ de Mulherzinha lhe deseja uma boa comida no dia de amanhã, sem culpas ou crises.

3 comentários:

passando despercebida disse...

hahahaha! que situação!

ainda bem que no meu trabalho tem moços... na pior das hipóteses, é viável.

Olga Koklova disse...

Cadê Picasso que não aparece mais por aqui? Frequento só para poder ver meu querido esposo falar!
Qualquer coisa, faça como eu fiz: arrume aulas de pintura logo depois do almoço, não é pablito?

Pablo, el hombre disse...

É isso aí, Olga. Lembrando que ninguém pinta com brocha na meu atelier. Nada melhor que dar umas pintadas depois de servir linguiça no almoço.